Adeus orcs

Os orcs foram “pro” beleleu

O clã saiu de Norton e adentrou a planície de Nevada para resgatar os gnomos que haviam sido sequestrados pelos orcs malvados. Depois de 1 dias de caminhada e cansados eis que Akarth avista o acampamento dos orcs e provavelmente onde estão os gnomos presos.

O clã se mantem a uma distância de segurança do acampamento enquanto observa detalhes de longe. O acampamento é feito de 1 barraca grande, 2 barracas pequenas e 2 árvores cada uma com uma casa suspensa nela sustentando 1 orc arqueiro. Além disso, encostado na barraca grande, tinha um sino e ao lado um orc com uma full plate sentado numa cadeira.

O clã se dividiu em 2 para uma parte dele chamar a atenção dos orcs e a outra fazer a invasão e resgatar os gnomos. O lado que chamou a atenção (Akarh e Aukan) gritou e fez gestos e na volta o orc com a full plate toca o sino. Os orcs arqueiros disparam contra os dois, uma flechada em cada um acertando cada e ferindo Aukan gravimente.

A outra parte do clã (kavynir, Arok e Abgayl, Nicolas, Antônio e Zeferus) invadem pelo outro lado e decidem entrar na barraca grande. Olhando pela entrada da barraca grande eles observam um grupo de 8 orcs lá dentro pegando em machados.

Arok, rapidamente joga uma poção alquímica dentro da barraca e ateia fogo em vários orcs. Kavynir mata o último restante com uma flechada.

Enquanto isso do outro lado, Akarh dá uma investida montada portando sua lança e perfura o peito do orc de full plate. Aukan pega uma javalin e arremessa em um orc arqueiro mas o projétil acerta na árvore e não no orc.

Do lado de Kavynir, Arok dispara contra um orc arqueiro acertando ele na cabeça e levando ele a óbito enquanto Kavynir atira contra o outro acertando também e derrubando ele da casa na árvore.

Depois de matar todos os orcs, o clã vasculha todas as barracas e encontra tesouros e os 3 gnomos vivos, é hora de voltar para a cidade e ganhar prestígio.

Essa foi a síntese do final da sessão mestrada por mim, forte abraço jogadores. Não esqueçam de compartilhar esse conteúdo e me seguir no feed de notícias.

Participantes:

Akarh orc bárbaro

Kavynir elfo bárbaro

Aukan goliath guerreiro

Arok orc bárbaro

Aasimar clériga

Nícoloas humano clérigo (npc)

Antônio humano guerreiro (npc)

Zeferus ladino elfo (npc)

Ladino safado, merece cadeia

À caça do ladino

Estavam na taverna os integrantes da equipe de busca recém formada se divertindo. Hellen decide anunciar alto e com bom som seu desafio. “Desafio alguém para uma queda de braço” e logo apareceu um anão parrudo para a disputa. O anão chamou Hellen para sentar em frente a ele e disse que só jogaria apostando, Hellen aceitou e apostaram 50 moedas de ouro. Foi uma disputa árdua, acredito que só porque estava enfrentando uma mulher, ele achou que seria fácil mas muito pelo contrário, Hellen ganhou a disputa e levou as 50 moedas dele.

(Antes de continuarmos, só peço que se inscrevam no meu feed de notícias logo abaixo e compartilhem esse conteúdo nas redes sociais. Brigado)

Click aqui e se inscreva

A taverna estava animada mas Galadril quis mesmo é falar com o barman e colher informação para a equipe. Galadril não queria se divertir e sim trabalhar para ganhar grana, afinal ele precisa pagar contas. O barman é humano e aparenta ter 40 anos, estava fazendo uma birita para algum cliente até que chega Galadril e pergunta sobre algo a se fazer. O barman fala sobre um tal senhor das trevas, o inimigo da humanidade. O barman não tinha muita informação mas fala para Galadril se informar com o delegado Rodolfo na delegacia.

Os integrantes da equipe beberam muito e degustaram da melhor comida da taverna além de escutar uma boa música ao som do bardo Rafael. Mas como alegria dura pouco, foi batendo o sono e decidiram ir dormir, isso eram 2 da madrugada. Foram dormir numa estalagem ali perto e tiveram uma ótima noite de sono. Pela manhã, ele sentam à mesa e tomam café da manhã e logo depois partem para a delegacia.

Na delegacia Galadril fala com o delegado Rodolfo a respeito do senhor das trevas mas o delegado não tem muita informação, só sabe que o reagente que prende o senhor das trevas foi furtado e o mundo corre perigo. Aproveitando o encontro, o delegado oferece três missões para a equipe para eles escolherem uma. A missão escolhida foi: À caça do ladino Anderson. É um ladino que está aprontando na cidade e se escondeu em uma masmorra e precisa ser preso para pagar pelos crimes que cometeu.

Tinha um pequeno porém, a masmorra fica em terras selvagens e não sabem o lugar exata e o pior, o delegado também não sabe mas ele indicou o ranger Daniel que poderá ajudar a equipe nessa empreitada. A party se despede do delegado e vai em direção à casa de Daniel no endereço indicado pelo delegado. A casa fica num bairro pobre da cidade e chegando lá se deparam com um terreno grande e ao centro uma casa humilde. Na varanda estava um elfo sentado numa cadeira de balanço com um criança élfica de 5 anos no colo.

A equipe se aproxima do elfo e conversando, descobre que ele é o Daniel e aquele garotinho é o filho dele. Eles fecham um contrato com Daniel, prometem pagar 120 moedas de ouro em troca do guia e de ajuda no combate. O elfo pergunta quando vão e eles dizem agora! Daniel entra em casa para se arrumar e se despede da mulher. Já com roupas de aventura, sai de casa e acompanha a equipe.

Daniel sabe que a masmorra fica na planície de nevada indo para o sul, perto de Bonevur e para ir para lá tem que passar pela zona agrícola da cidade de Norton, passar pela guarita e pegar e estrada sentido Bonevur. Antes de chegar em Bonevur, o ranger diz que a equipe tem que entrar na planície bem em ambiente selvagem e essas foram as instruções.

Começa a jornada, pegam a estrada e caminham por algumas horas até se depararem com uma caravana com vária carruagens e alguns seguranças escoltando. Atilos tem um ideia, ele para um segurança e pergunta se está tudo bem. O segurança diz que goblins espreitam a estrada a frente para praticar assalto e só não assaltaram a caravana porque tem seguranças e são muitos. A equipe agradece a informação que é preciosa.

A equipe então, mediante essa informação, decide manter 2 integrantes na frente e o resto espreitando. Akarh e Hellen vão na frente e o resto vai escondido dentro da planície. Akarh e Hellen e toda a equipe escutam o bater de tambor e eis que saem 8 goblins dos seus esconderijos e cercam os 2 integrantes da equipe. Um goblins anuncia o assalto enquanto todos os 8 apontam bestas para os 2.

Akarh e Hellen reagem ao assalto junto com os outros integrantes e lutam contra os goblins. Akarh bem que tenta dar uma investida em um mas o goblins desvia para o lado e ele passa direto. Hellen tenta acertar um e desfere um golpe mas o goblins cisca para o lado e Hellen bate com a arma no chão. O ranger Daniel saca seu arco longo e atira acertando um goblins letalmente na cabeça. Atilos também atira e acerta um goblin no pescoço levando ele a óbito. Melkor, o mago lança sono e coloca 5 goblins para dormir. O último goblins, vendo seus amigos sendo derrotados, decide fugir mas leva uma flechada pelas costas de Aeron.

Esse combate chegou a dar susto porque eram 8 goblins mas a equipe conseguiu lidar muito bem com eles e mesmo reagindo ao assalto, conseguiu resistir, todos os goblins foram mortos mesmo Hellen reclamando muito. Hellen queria poupar a vida dessa criaturas por mais que fossem malignas. Daniel convoca a equipe para continuar no caminho e todos foram.

Depois de caminhar mais alguns quilômetros, chega o local de saída da estrada e começam a adentrar na planície. Eles caminham por 1 horas até avistarem um acampamento que tem 1 barraca grande cercada por 4 esqueletos protegendo a barraca. Pensando que é alguma coisa maligna, a equipe investe contra os esqueletos mas basta apenas a pronúncia de sábias palavras e a imposição do símbolo sagrado que Atilos para destruir os 4 esqueletos com seu expulsar mortos vivos.

Depois de acabar com a resistência, a equipe entra no acampamento e começa a vasculhar por informação. O ranger Daniel diz que tem 2 humanoides que saíram dessa acampamento e provavelmente vão voltar. Os integrantes estavam bem conversando e debatendo sobre o que iriam fazer quando o Daniel alerta a todos, “escuto barulho de armadura batendo”. A equipe olha para o lado e observa um orc dando uma investida contra a equipe e outro orc atrás conjurando uma magia.

Melkor, rapidamente conjura mísseis mágicos no orc conjurador e acerta e derruba ele. Daniel puxa seu arco e atira contra o orc guerreiro e acerta a barriga mas ele continua em pé investindo. Aeron atira contra o orc e acerta na cabeça levando o orc ao chão e encerrando um combate mortal. Os orcs estavam desmaiados morrendo mas a equipe aprisiona e cura eles para interrogar e obter informação. O orc mago disse a equipe que estava atrás do reagente e estavam ali para fazer um ritual para pedir informação a Gruumsh e saber onde está a peça e o acampamento é deles. A equipe chega ao consenso que eles não são uma ameaça e liberam os dois.

Galadril pede que continuem a jornada pois já está ficando tarde. A equipe segue seu caminho por algumas horas eis que cai o anoitecer e eles decidem acampar para descansar e recuperar as energias. No dia seguinte, tomam café da manhã e voltam a trilhar rumo à masmorra.

O ranger diz que “a entrada da masmorra fica por aqui e vão encontrar breve”. A equipe percebe uma casinha sem janela e só com uma porta. Daniel diz que “esse lugar é suspeito e a entrada da masmorra pode ser aqui”. Checam a porta e ela está trancada mas Hellen pega o pé de cabra, mete na porta e força a arrombando. Revelasse o interior da casinha com uma mesa no canto e encima um candelabro iluminando a sala magicamente. Ao centro um alçapão trancado por uma tampa de madeira e ao lado uma alavanca.

Atilos decide investigar o candelabro e o levanta revelando um papel embaixo dele. No papel está escrito “3 silvos”. Galadril decide puxar a alavanca 3 vezes seguidas e a tampa do alçapão abre e sai uma pessoa de lá se apresentando como Helker. Em um papo não descontraído, Atilo diz que eles estão ali para prender o ladino Anderson e Helker tenta fugir mas é impedido.

Eles interrogam o Helker e ele diz que é um ladino que trabalha para Anderson e seu patrão está ali dentro da masmorra na última sala e concorda em cooperar desde que seja solto no final e não vá preso.

Helker então vai guiando a equipe pela masmorra até avistarem uma porta. Ele diz que ali é o dormitório e tem orcs dormindo ou não ali dentro. Galadril abre a porta devagar e Melkor lança sono dentro do dormitório fazendo com que dois orcs que estavam jogando baralho e mais dois orcs que estavam na cama sejam postos a dormir. A equipe passa a lâmina nos 4 orcs que estavam ali.

Continuando, avistam outra porta e Helker diz que é o refeitório. O ranger Daniel abre a porta devagar e avista dois orcs comendo lá dentro e fala para a equipe. O plano é o seguinte, Atilos abre a porta rapidamente e Daniel e Aeron entram rápido e atiram nos orcs. Executam o plano e deu tudo certo, 2 flechas e dois orcs no chão.

Eles continuam no corredor e avistam outra portal. Helker diz que essa é a sala do tesouro da masmorra e está trancada e com armadilhas dentro mas ele destranca com seu kit de ferramentas e sabe evitar as armadilhas. O ladino abre a porta que revela um corredor, Helker diz pra terem cuidado e ele vai guiar a todos. Ele então guia a equipe pelo corredor evitando 3 armadilhas e chegam até uma sala com 4 baús. Helker diz: “aqui está todo o tesouro”. Foram nada mais nada menos que 1000 peças de ouro e 10000 de prata além de 4 gemas.

Depois de terem ficado muito feliz com a riqueza encontrada, eles voltam para o corredor central e continuam andando até chegar na última porta, a porta do Anderson. Helker diz que guiou todos com segurança até ali e fez sua parte e pediu que liberassem ele. A equipe liberou mas pediu o contato dele para contratar seus serviços futuramente.

A porta estava destrancada e segue o plano, Galadril abre a porta rapidamente e Atilos lança uma magia para imobilizar Anderson que estava sentando numa cadeira escrevendo em seu diário. Com Anderson enfeitiçado, eles colocam algemas nele.

Com o ladino safado preso, a equipe volta para a cidade e o conduz até a delegacia. Entrega o preso e pega a recompensa além de ter ficado com o tesouro da masmorra. Eita vida boa essa de aventureiro.

Brigado por ler esse artigo de uma síntese da aventura que ocorreu domingo agora.