Que tal uma mexidinha no affinity pauper?

Que tal uma mexidinha no affinity pauper?

Toda segunda-feira tem evento pauper na Taverna e sempre quando posso vou jogar. Para quem não sabe, eu jogo de affinity com uma build alternativa, uma build pessoal minha só para o deck ficar mais divertido. Detesto decks pesados.

Essa build vem sendo testada faz 2 semanas e consegui resultados incríveis jogando na Taverna. O deck está muito mais rápido e consegue fazer 3 x 1 de vez em quando mas no geral faço 2 x 2. Mas o que mais me chamou atenção nessa build alternativa foi uma criatura chamada eskirge da câmara. Foto dela abaixo:

Sabe como é que é né? No mundo prático ela é uma criatura custo 1 que voa e tem lifelink e combinado com o bonesplitter fica mais forte ainda. Muito advanced contra deck de bichos que vem numa race braba.

Eu tinha testado a build com 4 arcbound worker e 4 eskirge e o deck ficou muito leve mas perdia em força. Depois testei com 4 arcbound worker e 2 eskirge e o deck testava ganhando de agroo. Mas agora eu removi os 4 worker e coloquei 4 eskirge e no próximo torneio vou analisar como ficou.

Acho que vou lançar a campanha: “Por um affinity mais leve” porque a outra build inicial estava muito pesada, estava lenta de mais. Esse affinity eu comprei de um amigo lá na Taverna e no primeiro torneio que joguei percebi que o deck estava pesado. Era a build muito parecida com a do affinity do mtggoldfish. Detesto decks pesados xD.

Bom pessoal, vou testando e analisando e postando aqui os resultados^^ Até a próxima e não se esqueça de curtir para dar força ao canal^^

Vampiros ao ataque!!!

Vai vampiros, ataquem!!!

O formato modern é muito bom e vários planeswalkers jogam ele. Eu, particularmente, adoro esse formato e venho aprendendo muito com o passar do tempo jogando lá na Taverna. No último torneio eu enfrentei um mirror logo na primeira rodada e me dei mal. Mas ta tranquilo, “to em casa” junto com a galera. O importante é se divertir e nada melhor do que jogar um modern.

Pra quem não sabe, meu deck modern era o the rack splashado para o branco pra usar path to exile e usar cards do sideboard como rest in peace. Eu experimentei esse tipo de deck durante vários torneios e dei upgrade no baralho várias vezes e só achava divertido quando tinha a wast not na mesa colocando fichas de zumbis. De resto não achava o deck divertido.

Agora decidi mudar, vou inovar o deck e acredito que com o meu novo modern, a jogabilidade do baralho vai ficar melhor e o deck vai ser mais divertido. Vou continuar com BW só que com uma modificação profunda. Em vez de fazer o oponente ficar sem mão e matar com the rack, vou de vampiros agora.

Já encomendei as cards na loja magic bem barato e devem chegar mês que vem e enquanto isso vou jogando com esse mesmo baralho. Quando as cards chegarem, vou editar meu deck e passar a matar de vampiros e usar o sorin, lord of innistrad. Agora sim o deck vai ficar divertido pra mim e para o meu oponente.

vou usar essa belezinha no deck

Foi mais um artigo do planeswalker brasileiro, pessoal!!! Não esqueçam de curtir e compartilhar e se inscrevam no meu feed. Ajudem o canal a crescer^^.

Eita cartinha boa

Fragmentalizar é “a card”

Olá gente de bem, meus amados planeswalkers. O elfoman aqui adora jogar de BW discard no modern e como tem o white no meio dá pra usar recursos dessa cor maravilhosa.

Eu estava jogando com meu BW e enfrentando esse field malvado e testando várias cards. Até que uma card em especial me chamou atenção. O nome da carta é fragmentalizar.

card poderosa

Repare que essa carta é muito mais rápida que o desencantar que custa 2 e sabemos que pra ter 2 manas tem que estar no turno 2 além de, caso precise conjurar 2 mágicas, fica mais difícil ainda a missão. Um turno faz a diferença e uma mana a mais tbm.

Quanto ao field que eu enfrento, ela remove tudo, remove carta do tron, remove cartas do hardened scales. Ela é ótima contra mirror enfrentando the rack discard. Além de remover a blood moon e vários artefatinhos periféricos e encantamentos tbm. E o melhor, remove a leyline branca que é meu pesadelo.

Essa carta tbm é barata na grana. É comum, comprei por centavos cada e tem uma eficácia muito excelente. Card maravilhosa, acho melhor que desencantar contra o meta. Mais rápida, remove quase tudo e cast na 1 se precisar.

Bom planeswalkers, esse foi só um comentário, estou muito animado com o magic que está cada vez melhor. Até a próxima e não esqueça de comentar e curtir e se puder, siga meu feed.

Adeus pre release

Perdi a vaga para o pre release

Segunda agora teve pauper na taverna e fui jogar. Era um pauper especial que valia vaga para o pre release de lealdade em ravnica. Deu muita gente, foram vários planeswalkers querendo a vaga para o pre. Foram ao todo 14 jogadores disputando 2 vagas para o pre release.

Como sempre lá estava eu com meu affinity pronto para jogar. Eu sei que preciso variar de deck mas por enquanto não da pra comprar outro e por isso vou do mesmo deck. O Bruno estava jogando e queria jogar contra ele pra tentar tirar a diferença de vitórias dele encima de mim.

O torneio foi bem legal, deu pra socializar com a galera mas infelizmente não consegui a vaga para o pre release. Eu fiz 2 x 2 e fiquei em sexto lugar e portanto não consegui me qualificar.

Esse foi mais um dia do meu diário compartilhado pessoal, brigado por ler e até a próxima.

Que doble top deck hein

Que double top deck hein

Terça-feira dia 18 teve modern na Taverna e fui jogar com meu BW the rack. Reencontrei a turma do modern depois de muito tempo afastado. Lá estava ele, o Lucas com seu deck de merfolk e o Duani com seu UW. Estava o Vitor recém no modern porque ele só jogava pauper. Foi mais um dia feliz com a galera.

O que me chamou a atenção nesse torneio foi um game contra um camarada que jogava de hardened scales. O primeiro game ele ganhou, não veio rápido mas ziquei mana também e ele acabou ganhando muito fácil. O que me chamou a atenção foi no segundo game. Eu descartei a mão dele toda e depois baixei 2 the rack em campo. Na upkeep dele ele leva 6 e na draw fase ele me topdeca a nature´s claim (menos 1 the rack mas pelo menos tenho outro em campo) No meu turno de volta eu comprei discard mas ele estava sem mão. Passei pra ele e na upkeep dele ele leva 3 e na draw fase topdeca outra nature´s claim.

Depois desses 2 top decks maravilhosos dele, ele só topdecou bicho, encheu a board de criaturas e começou a me bater. Me deu tanta porrada que ganhou a game e numa conversa bem descontraída a respeito da jogada que já na partida rendeu risos ele me solta: “eram minhas únicas 2 nature´s claim no deck com sideboard”

Depois de ouvir isso rimos mais e no fundo no fundo adorei o game 2 que mostra que o jogo magic the gathering tem virada de jogo por mais que esteja tudo perdido. Ele, com o deck dele virou uma partida que muitos iam julgar perdida e lá vai mais uma máxima do mundo do magic, nunca desista antes do fim.

Se você gostou desse artigo deixe seu like, compartilha no facebook, se inscreve no feed e curta minha fã page no facebook.^^ Brigado planeswalkers, valeu!!!

E como fica o abrupt decay depois dessa?

Adeus abrupt decay?

As vezes o planeswalker, para ganhar força, edita seu poderoso grimório com multicolor e temos várias combinações de cores que dão certo. Dentre elas tem a poderosa combinação BG. A amoralidade do black se junta com o instinto do green e dá nesse poderoso grimório. Não vou muito além, mas a mistura dessas duas cores dá em um Abrupt decay da vida.

O abrupt decay joga e muito, lugar certo em alguns decks em que o planeswalker não gosta de counter, não vai com a cara do poderoso planeswalker de blue. Já ví BG que utiliza decay em adicional ao maelstrom pulse. Ou seja, utiliza os dois para quem quer um turbo remoção black and green.

Estava tudo numa espécie de santa paz, quando de repente a Wizards volta a lore para Ravnica e lança a edição Guildas de Ravinca. O tempo passa e sai a seguinte spell no spoiler: Assassin´s trophy. Foi só sair no spoiler que os planeswalkers saíram daquele estado de consolidação do abrupt decay para uma espécie de relativação do mesmo uso da spell.

Depois que ficou confirmado mesmo que a spell Assassin´s trophy não era fake e sim pura realidade e que já tinha lojista anunciando por 150 reais cada, eu percebi que eu tinha que fazer alguma coisa e fiz uma enquete no grupo de magic do facebook pedindo para os players votarem ou no abrupt ou no trophy.

O resultado foi um megadebate entre planeswalkers e cada um puxando um tipo de argumentação, mas todas muito interessante. Foi interessante até para o amadurecimento da comunidade o debate cada player com sua ideia.

Teve por exemplo player que focou muito em BG jogando contra o tron por exemplo. Eu já joguei contra tron e digo que é um deck a ser batido. O trophy quebra land e nada melhor que remover uma land de ursa do tron para atrasar aquele baralho que tanto inferniza. Se bobear o BG nem vai precisar usar esfera amortecedora no side se utilizar o trophy no main.

Já aqueles players mais focados contra o blue preferem o abrupt por força de não poder ser anulado mas acho que o trophy cai bem também contra o blue e o UW já que os bichos rápidos como bob e ooze e goyf vão sufocar o adversário. Mas também existe o mid game com muito land, nada é perfeito. Porém o trophy tem a chance de destruir jace se rolar uma finta.

Uma coisa focada também e algo que eu até comentei no post é que trophy remove o jace se bem encaixado. Além de remover alguns planeswalkers custo 4 ou superior como o karn do tron se cair é claro. Remove aqueles planeswalkers custo caro do UW.

Outra coisa que não vi comentando, mas é fato é que o trophy remove oco contra o duelo com hallow one. Além de já ver gente jogando de White utilizar adoração e isso mais uma vez o trophy remove.

Postei outro meme no grupo de magic sobre a evolução da remoção BG e mostra nitidamente que o assassin´s trophy vai tomar o lugar do abrupt decay. Isso já era dito por certos players no meu post sobre a votação entre as duas cards. Tanto é que agora, os lojistas estão precificando o trophy por 93 reais enquanto o decay está 15 reais no menor da liga.

Só para concluir, o assassin´s trophy com certeza tem espaço no modern em um BG e acredito que depois dessa o abrupt decay vai perder espaço. Os planeswalkers vão começar a migrar para a opção de Guilda de Ravnica. Pelo menos tem muito player apostando nisso e lojistas também.

Gostou do artigo? Dá um like e comenta e segue meu feed. Esse resumo foi só minha opinião mas leio todos os comentários e aprovo todos. Até mais!!!

As cinco cores do magic the gathering

As cinco cores do magic the gathering

Para se construir um deck, os jogadores selecionam uma ou mais cores dentre as cinco cores do magic the gathering. Assim eles buscam decks mais eficientes tanto criando um deck mono ou misturando cores para combinar poderes e suprir fraquezas.

as cinco cores do magic the gathering
O pentagrama

As cinco cores do magic the gathering podem ser vistas trás de cada carta, em um design pentagonal, chamado de “Roda de Cores” ou “Torta de Cor”. Assim, para jogar uma mágica de uma determinada cor, mana dessa determinada cor é necessário.

Este mana é geralmente gerado por uma terreno básico. Que são os terrenos favoráveis para cada cor. Planície para a cor branca; ilha para a cor azul; pântano para a cor preta; montanha para a cor vermelha e floresta para a cor verde. Cada cor tem seus pontos fortes e fracos. Esses pontos são definidos com base no “estilo” de magia que representa.

Branco

Esta é a cor da ordem, igualdade, justiça, cura, lei, comunidade, paz e luz.

As criaturas brancas são famosas por suas habilidades favoráveis ​​à defesa, muitas das quais incluem ” Proteção ” e ” Vigilância “.”. Magia branca se opõe à fabricação artificial, sendo esta representada por muitas de suas magias que podem destruir artefatos e encantamentos.

As fraquezas de White incluem o fato de que muitos de seus feitiços favorecem criaturas menores; seu estilo de jogo passivo depende das ações de um oponente.

Azul

Azul é a cor do intelecto, da razão, da ilusão, da lógica, do conhecimento, da manipulação e do truque, bem como dos elementos clássicos do ar e da água.

As criaturas de Blue tendem a ser mais fracas que as outras cores. Mas comumente possuem habilidades que as tornam difíceis de bloquear. Um exemplo é a ” Flying ” a habilidade evasiva mais comum entre as criaturas Blue.

Como a magia Blue gira em torno do avanço e da tecnologia, ela tem o maior número de cartas com interações benéficas. Os pontos fracos do Blue incluem sua incapacidade de destruir magias já colocadas no campo, tendo elas retornadas para a mão.

Assim como a fixação em negar e retardar as ações do inimigo, enquanto ele próprio não possui um plano agressivo. E também a maneira como ele prolonga o jogo e a vitória.

Preto

O preto é a cor do poder, da ambição, da morte, da doença, da corrupção, do egoísmo, da amoralidade e do sacrifício.

Os pontos fortes incluem a habilidade de destruir criaturas instantaneamente. Também, forçar os jogadores a descartar cards de suas mãos. As habilidades evasivas são comuns entre as criaturas negras; além de poderem ressuscitar criaturas do cemitério de um jogador.

Uma das habilidades mais notáveis ​​entre as criaturas negras é ” Deathtouch”. Esta habilidade faz com que criaturas que levem dano pela criatura com deathtouch sejam enviadas para o cemitério. Independentemente da quantia de dano atribuída.

As principais fraquezas de Black incluem uma incapacidade quase completa de lidar com encantamentos e artefatos. Uma tendência a infligir severos efeitos negativos a fim de derrotar o adversário. Além da maneira pela qual ele depende de cartas dentro dos cemitérios.

Vermelho

Vermelho é a cor da liberdade, do caos, da paixão, da criatividade, do impulso, da fúria, da guerra, do raio, do elemento clássico do fogo e dos aspectos geológicos abióticos do elemento clássico terra.

Os pontos fortes do vermelho incluem a habilidade de causar dano direto a criaturas ou jogadores; destruir terras e artefatos opostos; e sacrificando recursos permanentes por poder temporário, mas com alto lucro.

O vermelho tem uma grande variedade de criaturas, mas a maioria tende a ser defensivamente fraca, tornando-as mais fáceis de destruir. Mas em compensação, algumas dessas criaturas mais fracas têm a capacidade de aumentar temporariamente seu poder.

O Vermelho explora o elemento do truque, sendo este representado por magias que são capazes de roubar temporariamente as criaturas de um oponente. Além de desviar ou copiar outras magias; e aquelas que envolvem chance aleatória.

As fraquezas incluem sua incapacidade de destruir encantamentos; a natureza autodestrutiva e de uso único de muitos de seus feitiços. A falta total de valor de defesa ou resistência de suas criaturas entre outras.

Verde

Verde é a cor da vida, natureza, evolução / adaptabilidade, ecologia, interdependência, instinto e indulgência.

Os pontos fortes de Green estão no campo de batalha, geralmente ganhando por meio de combate com criaturas. Estes tendem a ser notavelmente fortes a um baixo custo de mana e têm habilidades que os tornam mais resistentes.

As fraquezas incluem sua incapacidade de prevenir ataques não relacionados ao combate, ou seja, ações que afetam a mão, o grimório ou o cemitério. Inclui também seu método de destruir as criaturas inimigas apenas por meio do combate. Além delas terem pouca proteção.

As cinco cores do magic the gathering conclusão

Por enquanto somente as cores principais foram explicadas. Os outros detalhes envolvendo as cores irão ser explicados em uma próxima oportunidade. Tais como as relações entre cores e suas interações como fraqueza e suporte.

Gostou do artigo? Dá um like!

A volta de ravnica e sem o bob de novo

O bob não voltou mesmo. 15% perderam a fé

Robert Maher Jr ou mais conhecido como Bob Maher, nascido no final da década de 70, que nos anos 90 resolve entrar para o magic e seguir caminho nesse mundo maravilhosos de duelo de planeswalkers. Começa a jogar torneios grandes. Se aventurando mais no mundo do magic, conquista o Pro Tour Chicago (1999), conquista o Grind Prix Seattle no mesmo ano e assim vai. Levanta mais canecos e eis que merecidamente é campeão da Magic Invitational em 2004, lá em Los Angeles.

Bob Maher

Ficou tão grande no mundo do magic que além de receber um apelido carinhoso de “The Great One” e conquistar vários títulos, entrou para o Hall of Fame, e como tinha conquistado a Magic Invitational, já citado aqui, tem a carta dele, é claro^^. Para quem não sabe, é o Dark Confidant, lançado em Ravnica: City of Guilds em 2005.

Para quem não sabe, essa carta é tão boa que até hoje tem decks modern que usam ela. Bem dizer decks modern com bichos rápidos que usam black vão colocar essa carta. Vale a pena ter o drawback de perder 1 pontinho de vida para ter um draw adicional por turno, só tem que tomar cuidado com burn^^.

O tempo passa e eis que a Wizards volta a lore para Ravnica e, sendo assim, teve um grupinho de players assim como eu ficando felizes porque isso significaria que no mínimo as shock lands iriam voltar. Mas, acendeu um pouquinho de esperança na volta do Bob, fizemos uma fezinha. Me lembro que fiz uma enquete nesse grupo perguntando se acreditavam na volta do bob e cerca de 15% tinham esperanças. (85% não acreditavam)

O tempo foi passando, foi saindo spoiler aos poucos. Saiu spoiler das shock lands (o sonho se concretizou) e foi saindo mais, até que no site http://www.magicspoiler.com parece que saiu todas as cartas e pelo visto o Bob não volta mesmo.

Mas, para quem gosta de jogar de black por causa do efeito tipo arena  phyrexiana (embutido nas criaturas) que essa cor maravilhosa proporciona, foi lançado um knight que através de algum combo faz você dar draw. Midkinght Reaper é o nome da carta. Ou então jogar de pirata e colocar Ruin Raider. O problema é que essas criaturas custam 3 ao invés de 2 como era o Bob e não são tão perfeitas^^.

Voltamos para Ravnica, terra das guildas e suas intrigas. Viva as shock lands que vão ajudar muitos planeswalkers a competir sem depender do maldito azar. E o Bob? Bom, o Bob, quem sabe… Deixa para lá, vamos continuar jogando com ele no modern! xD Afinal de contas, ele é OP mesmo^^.

Eu quero o ritual de volta

Na minha época o dark ritual jogava

Eu lembro dos blacks controls antigamente com dark ritual. Antigamente tudo era mais simples e versátil. Eu lembro bem os caras que jogavam de necro por exemplo, nada melhor (ou pior se tivesse jogando contra) do que um swamp, dark ritual e necropotence. Lembro muito bem, eu com meu stomp tendo que enfrentar os caras de necro e as vezes tinha que encarar a necro no primeiro turno com o cara sendo o primeiro a jogar e continuava jogando surrando e sendo surrado.

Lembro também baralhos até um pouco mais antigos que jogavam e que infernizavam os oponentes. Baralhos que também jogavam em torno do dark ritual. Você quer uma coisa mais chata do que enfrentar um planeswalker que abre de swamp, dark ritual e depois hypnotic specter. Imagina isso no primeiro turno? Agora imagina isso no primeiro turno e você jogando com um deck que não remove criatura. Cansei de enfrentar esse tipo de deck e não pedia para sair, surrava e era surrado.

Lembro também baralhos alternativos que de vez em quando tinha gente jogando. Baralho como o black suicede, que era um baralho agroo black da época que se viesse com dark ritual na mão fazia estrago. Nada mais apelado que um swamp, dark ritual, priest of gix, black knight e sarcomency. Que tal 3 criaturas cada uma batendo 2 no primeiro turno?

Eu me lembro muito bem quando eu enfrentava tudo isso e não reclamava da vida ou não achava que magic era cruel. Naquela época os planeswalkers não queriam saber muito se ritual era apelado ou não, simplesmente partiam para cima do oponente e tentavam passar o carro. Cansei de surrar planeswalker com dark ritual no deck e cansei de ser surrado também e não tinha essa de achar que era apelado e por isso “vou parar de jogar”.

Eu já joguei com deck que tinha dark ritual e as vezes me dava bem, as vezes me dava mal. O dark ritual era muito forte e foi banido mas sempre fica um gostinho de enfrentar um deck com essa card num standard da vida ou em um modern. Que nem antigamente quando dark ritual era standard e eu jogava com ele no meu black contamination. E quando jogava com meu stomp, partia para cima do black com ritual também.

Bem que a Wizards poderia promover a volta do dark ritual, ia ser a alegria dos planeswalkers. Eu quero o ritual de volta.

eu joguei com isso e contra isso no standard

Fico por aqui gente de bem, até o próximo artigo! E não se esqueçam de dar like na fã page e de me seguir no instagram. Ajuda o planeswalker brasileiro a disputar planos e conquistar glórias^^.

Luciano (Elfoman)

 

 

Tenho que melhorar

Nesse modern não deu para o black

Nada melhor que jogar um torneio modern na Taverna junto com os amigos e treinar mesa. Hoje fui pra lá motivado porque já tinha chegado minhas inquisições de kozilek e minhas toxics deluges, muito animado eu para jogar. Por mais que esteja faltando the rack e sieze e as leylines, não poderia amarelar e deixar de jogar com a galera. Afinal, tenho que competir e ter baralho incompleto não é desculpa :).

Animado pra estrear essa cartinha

1 x 0 pra animar a festa

No primeiro round do torneio eu enfrento o Lauro. O cara joga muito. Por mais que ele tenha me dito que não conhece o field, ia ser uma partida equilibrada porque também não conheço. Acho que eu e ele estamos no mesmo barco mas eu levava mais desvantagem porque meu baralho falta muita carta. No primeiro game veio bastante discards e removi o dark confident dele com small pox, assim não dava mais draw pra ele e parava de morrer pra esse bicho. Fechei o game com as aflições berrantes.

No game 2 ele vem que vem no ímpeto e com lodo necrofago e liliana no top deck ganhou a partida, não deu pra o black. Apanhei pra tokens de zumbi 2/2 e morri feio. No game 3 eu consegui controlar e ganhei dele com direito a sign blood pra finalizar. Ele tava com exatos 2 pontos de vida.

1 x 1 mas que bobeira

Estar destreinado é um problema sério e comigo parece ser em dobro. Enfrentei o Márcio nesse round. Ele com o mesmo baralho da última vez e fomos para o game 1. Ele me faz um gideon de top deck e ativa o emblema em que ele não pode perder e o oponente não pode ganhar enquanto controlar o gideon. Eu concedi achando que não dava mais pra ganhar. Isso com etegênito na mão e waste not no deck. Só fui perceber o erro depois.

No game 2 eu floodei feio, só vim com 1 discard na hand. Tomei gideon, jace, fichas de criaturas foi uma festa pra ele. Perdi e confesso que fiquei bastante abatido pelo erro no primeiro game.

1 x 2 com direito a supressor de mágicas

Enfrentei um camarada com um deck bem interessante, era um UW com splash pra red, a partida foi 2 x 1 ele mas o game decisivo foi decidido num top deck épico.

Dei um discard nele e ele voltou supressor de mágicas, belaza. Dei outro discard e o safadinho tava com outro na mão, discartei claro, a outra carta era um land. Fiz vai e ele fez a draw e me bateu, ficou com uma carta não mão. No meu turno, voltei de small pox e ele fez outro supressor de mágicas hahaha. Nice top deck. 3 supressor na partida. Ele me ganhou batendo com esses 2 bichos.

1 x 3 apanhando pra tarmogoyf

Nesse match eu enfrentei o Bruno, Ele tava de black e green e os tarmogoyfs fizeram e diferença. O destaque do game 1 foi um tarmogoyf de top deck, ele ficou sem mão mas como meu deck não tem as the rack ainda, só a aflição berrante que estava na mesa não foi suficiente. No game 2 abri a mão com 3 lands mas só topdequei mana e ele me ganhou. Não posso tirar o mérito do cara, joga muito ele.

Fez a diferença no torneio

 

Pessoal, esse foi mais um dia lá na taverna, se tiver precisando de cartas, pode contar com essa loja. Fico por aqui pessoal, forte abraço e não esqueça de me acompanhar lendo as noticias.