A dor de um lojista

Spread the love

Tem player que nunca vai entender

O mundo do magic é maravilhoso e ta ficando cada vez melhor. Eu que jogava magic na década de 90 percebo a evolução desse mundo. Mas existe uma coisa que deve ser mantida, a indústria do magic para que agrade jogadores no Brasil todo o no mundo todo. E como toda indústria, tem gente que entra não só por amor mas também para ganhar a vida com ela.

Eu percebi, quando voltei, que tem gente condenando lojistas e criticando por exemplo o preço das cartas. Chegaram a dizer que determinada loja (onde eu compro cartas) é criminosa. Tem muita gente dizendo que lojista mete a mão e extorque o jogador. Eu percebo que existe um descontentamento muito grande com essa pessoas, com os lojistas.

Eu postei agora a pouco um comentário no grupo elogiando os lojistas por salvarem o magic no Brasil. Teve gente me elogiando pelo comentário e teve gente me criticando.  Resolvi fazer esse artigo para tentar ajudar as pessoas a entender os lojistas e perceber que lojista não é “o inimigo do povo”. E doa a quem doer.

Primeiro vou tentar esclarecer o preço “caro” das cartas: Os lojistas só querem sobreviver e para isso precisam lucrar. Mas antes de lucrar, eles precisam colocar o preço nos produtos. Antes de colocar o preço o lojista precisa calcular o custo do produto (carta avulsa é um produto). Para isso, leva-se em consideração custos com aluguel, funcionário, contador, luz, água, condomínio, desperdício, impostos e por fim a mercadoria (cartas avulsa de magic também são mercadorias).

Depois de saber todos os custos que a empresa tem, ele vai começar a precificar seus produtos e isso inclui as cartas avulsas visando ter um excelente lucro para poder poupar dinheiro para ter no caixa da empresa para segurar a mesma em tempos de crise (empresários passam por crise sim) tipo ter prejuízo no final do mês (ou em vários meses seguidos). Os lojistas precisam lucrar para poder pagar as contas pessoais deles também.

Quando eu comprei minha primeira leva de cartas standard na cards of paradise e na magic bem barato, eu paguei aproximadamente 800 reais nessa primeira leva e só nos botanical sanctum paguei 200 reais aproximadamente mas paguei feliz porque sei que os preços ali postos estavam todos os custos das empresas além do lucro dela (não se condena lucro, lucro é necessário).

Sei muito bem que se não fosse os lojistas de hoje, para eu ter esse mesmo pool de cartas inicias do meu standard, eu levaria meses se fosse naquela época. Uma época que não tinha uma organização de lojistas que “simplesmente” colocassem as cartas na prateleira para eu comprar e ser feliz com meu baralho. (Ainda mais agora voltando ao magic competitivo)

Sem contar que lojista é um empreendedor, e essa gente passa por maior aperto para no final levantar uma empresa sólida que dê o lucro dele para ele sobreviver. E essa mesma empresa oferece cartas no melhor preço que eles podem dar além de oportunidade de frete que chega em 3 dias. (muito rápido isso)

Os jogadores de hoje não sabem o que era magic nos anos 90 e por conseguinte acabam condenando os lojistas que facilitam muito nossas vidas. Eu sei que depois dessa vai ter gente me colocando na cruz mas mesmo assim vou continuar amando os lojistas por facilitar a minha vida. Amo magic e essa comunidade maravilhosa e agora quero ficar e não vou sair^^


Inscreva seu email e receba notícias
Like
1

12 comentários sobre “A dor de um lojista”

    1. tem jogador que nunca vai entender mas acredito que seja a minoria esmagadora. aqui em campo grande, rj, tem a taverna e os players amam o taverneiro

  1. Sou lojista, não tão grande quanto a Cards of Paradise, ou Magic bem Barato, mas, estou lutando para que minha empresa cresça.

    Só tenho a dizer uma coisa sobre seu texto e compreensão:

    Muito Obrigado! 😀

  2. Parabéns pelo texto! Viver de Magic está cada vez mais difícil, assiciando principalmente a alta do dólar, que impacta diretamente o preço final do produto repassado ao consumidor! Nos como comunidade de Magic no Brasil precisamos nos unir e apoiar sim os lojista e a própria WotC, com intuito de manter nosso hobby, passa-tempo ou meio de sobrevivência!

  3. Concordo com quase tudo porque existem certos produtos lacrados que no exterior tem valores adequados a estes mas aqui no Brasil alguns(não todos) enfiam a faca por serem produtos difíceis de serem encontrados além de haver um certo monopólio em algumas lojas onde não se há muitas opções para compras de produtos.
    E quanto à questão do dolar… Aumenta sim mas quando baixa ninguém baixa à o que o realmente deveria ser. Tem box sendo vendida por 360(encontrei ontem numa loja que nem sabia que existia) de uma coleção moderna na qual estou acostumado a pagar 450 a box e 15 o booster. Pois é quando vejo estas divergências, como empresário, sei que há algo que não está muito correto.

  4. Sou lojista, e cada dia esta mais complicado manter os valores com esta alta do Dolar e com as complicações de manter um site no ar tem custos…

  5. Um ótimo texto.
    Sou comerciante a 28 anos e minha loja tem 32 anos de vida e tradição. A 1 ano e 8 meses realizei um sonho que era abri uma loja de cardgame, boardgame, RPG e afins.
    Desde dezembro luto para manter a loja. Diferente do primeiro comércio que é tradicional e referência na cidade a loja de jogos não. Ela não tem tradição e a maioria dos clientes não trabalha, vindo a depender da mesada dos pais ou avós e quando trabalha o dinheiro não é gasto na loja, pois tem outras prioridades. Quanto aos adultos, estes tem o período de estudos que nesta época muitos param de jogar e até vendem a coleção, passado essa fase vem casamento e investimento nas carreiras.
    Não vendo em sites e isso dificulta mais ainda a comercialização do produto e assim o giro, sem falar que meu volume de compra e venda é menor.
    Muitos dos que criticam não sabem dessa realidade, mas as pequenas lojas tem limites para compra, não tendo acesso a quantidades de produtos. O que não me permite vender diminuindo muito a margem de lucro que já é pequena.
    Vale lembrar que quando nos tornamos lojistas de jogos, estamos falando de algo supérfluo e este é um dos primeiros itens a deixar de ser consumido, Não dá pra comparar com nenhum outro seguimento.
    Existe também diferença de imposto entres estados e isso pesa no final.
    Respeito cada cliente e acredito que o cliente tem sempre razão, sempre tento orientar onde deve gastar melhor o dinheiro e dessa forma valorizar o mesmo no que investir na loja, para que não fique descontente ou mesmo desista do jogo.
    Bom, foi realmente um bom texto e fica aqui meu desabafo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *